CÂNCER DE PRÓSTATA: TRATÁ-LO PRECOCEMENTE PARA UMA VIDA MELHOR E MAIS LONGA

O câncer de próstata é o câncer mais comum entre os homens. Muitos homens mais velhos têm essa doença sem saber. Este tipo de câncer geralmente cresce lentamente e muitas vezes pode ser removido completamente ou tratado com sucesso após o diagnóstico precoce. A frequência do câncer de próstata aumenta ao longo da vida: a doença atinge apenas 12% dos homens até os 40 anos, porém, cerca de 75% dos casos ocorrem em homens com idade a partir dos 65 anos.

No entanto, homens de todas as idades devem ficar atentos aos fatores de risco pessoais e conversar com seus médicos para a realização de exames que permitam a detecção precoce da doença. Os cânceres de próstata localizados geralmente podem ser controlados e com eficácia. É por isso que o rastreamento para detecção precoce da doença é oferecido a homens com mais de 50 anos, bem como àqueles com um fator de risco específico (principalmente no caso de história familiar).

É comum que o câncer de próstata não causar nenhum sinal físico, principalmente no início de seu crescimento, pois geralmente se desenvolve ao redor da próstata sem sintomas imediatos. Sua descoberta, às vezes, é completamente acidental durante uma verificação de saúde, por exemplo.

Quando o câncer inicia sintomas, como dificuldade para urinar, vontade frequente de urinar ou dor ao urinar, melhor procurar avaliação médica para um diagnóstico mais preciso.

As pesquisas sobre cânceres de próstatas agressivos, vem aumentando, estudos de grande escala começam a produzir resultados animadores, de acordo com Saad (2020)[1], como as drogas que prolongam a vida, outras que retardam a progressão da doença, e diagnósticos cada vez mais rápidos e precisos.

No entanto, a prevenção ainda é o melhor tratamento para evitar o câncer de próstata, duas áreas de intervenção devem ser consideradas. Primeiro o estilo de vida saudável que protege contra os principais fatores de risco do câncer. E o rastreio, ou seja, os exames regulares que o homem deve fazer para detectar numa fase inicial e, assim, disponibilizar desde muito cedo uma intervenção eficaz.

 COMO O HOMEM PODE SE CUIDAR

São conhecidos três fatores de risco principais para o câncer de próstata: idade, hereditariedade e dieta alimentar; sendo que a inclusão do sedentarismo se faz necessária, por ser um fator a ser considerado.

Hereditariedade e etnia podem ser fatores de risco importantes para o câncer de próstata. Embora os casos de câncer de próstata hereditário sejam mais raros, ter três parentes de primeiro grau (pais e irmãos) é um fator de risco comprovado.

Uma dieta rica em gorduras animais, especialmente aquelas provenientes de carnes vermelhas, aumenta também o risco de câncer de próstata. Por outro lado, uma dieta rica em frutas e vegetais pode diminuir o risco.

Quanto ao sedentarismo, a ausência de atividade física é um fenômeno social com graves consequências para saúde em geral. A recomendação mínima é de 30 a 60 minutos de atividade física 3 a 4 vezes por semana, isso inclui caminhar para o trabalho, fazer compras, subir escadas e praticar atividades físicas recreativas.

Saad (2020) ressalta que o progresso para o tratamento do câncer de próstata do tratamento foi extraordinário nos últimos 15 anos porque, primeiro, eles começaram a entender melhor a doença e, segundo, pela divulgação e convencimento público e os tomadores de decisão de que é um câncer que deve ser levado a sério.

Até porque os primeiros sinais clínicos aparecem tardiamente, quando o tumor já se desenvolveu. Se a doença se espalhar ainda mais, além da próstata em si, podem aparecer dores na parte inferior do abdome, dores nos ossos e problemas renais.

Com evolução lenta, o câncer de próstata permanece assintomático por um longo tempo. Os primeiros sinais clínicos aparecem tardiamente, quando o tumor já se desenvolveu. Após o tratamento, é necessário acompanhamento médico regular. Ele permite que você confirme se tudo está bem ou, se necessário, detecte uma recaída o mais cedo possível.

Como regra geral, esse acompanhamento inclui um exame clínico e um exame de sangue com, em particular, a determinação do nível de PSA . Se esses exames levarem à suspeita de recidiva, exames adicionais serão agendados ( scanner , ressonância magnética , cintilografia óssea , etc.).

Em os caso, é dever do homem olhar e cuidar de sua saúde, por ele mesmo, sem a necessidade de deixar um assunto tão importante aos cuidados somente de sua família.

Muitas vezes, o medo e o preconceito que envolvem esse assunto impedem, um diagnóstico precoce. Isso acontece porque a questão cultural favorece uma resistência do homem em cuidar da sua saúde, sendo um importante fator do maior adoecimento da população masculina, já está na hora de quebras velhas crenças e acompanhar os paradigmas dessa nova era que estamos vivendo.

[1.] Fonte: Dr. Fred Saad, Professor titular do departamento de Cirurgia, Université de Montréal Diretor Médico do Grupo Interdisciplinar de Oncologia Urológica, CHUM. Presidente, Grupo Canadense de Oncologia Urológica (CUOG) e Instituto Nacional do Câncer do Canadá GU (NCIC GU)fred.saad@umontreal.ca; telefones 51 4890-8000, https://sante.lefigaro.fr/sante/maladie/cancer-prostate/quelle-est-levolution