| CURSO DE CAPACITAÇÃO

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM ACOLHIMENTO E ESCUTA ATIVA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADAS

JUSTIFICATIVA

O acolhimento institucional está previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) como uma medida provisória de proteção integral à criança e ao adolescente em situação de risco e vulnerabilidade social, desde que esgotadas todas as possibilidades com a família de origem e extensa. Com as novas diretrizes, as instituições de acolhimento devem realizar, no prazo de dois anos, o retorno familiar e comunitário.

Para tanto, é imprescindível que o profissional esteja preparado para lidar com situações de extrema vulnerabilidade e dor emocional, as quais envolvem histórias de vida fragilizadas que necessitarão ser ressignificadas e acolhidas, por meio de uma escuta acolhedora e diferenciada.

 

OBJETIVOS 

– Qualificar os profissionais que atuam com crianças e adolescentes acolhidos institucionalmente para uma escuta diferenciada.

– Oferecer subsídios técnicos e legais para o acompanhamento e para a elaboração do plano de trabalho com crianças e adolescentes institucionalizados.

 

PÚBLICO ALVO

Profissionais que atuam em programas ou serviços de acolhimento institucional para crianças e adolescentes.

 

CARGA HORÁRIA

40 horas.

 

METODOLOGIA

Aulas expositivas e interativas, com vivências e práticas.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O conceito de desenvolvimento infantil.

O acolhimento institucional e familiar: proteção Integral, convivência familiar e comunitária.

A criança, o adolescente e a família: a importância da busca pela história de vida.

A construção de um ambiente facilitador no processo de escuta e de acolhimento da criança e adolescente em situação de vulnerabilidade social.

As competências técnicas, os desafios, o planejamento e o monitoramento para a construção do PIA.

A participação da criança, do adolescente e da família na construção do PIA e sua relação com as audiências concentradas.

A atuação interdisciplinar e o trabalho em rede.

A preparação para o retorno à família de origem ou para o processo de adoção.

Cuidando do cuidador.